OSWALDO EUSTÁQUIO PRESO E LULA SOLTO. POR QUÊ? - OLHAR CONSERVADOR

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

OSWALDO EUSTÁQUIO PRESO E LULA SOLTO. POR QUÊ?

Defesa de Oswaldo Eustáquio publica nota à imprensa - Terça Livre TV


por Delmo Fonseca 


Fora de contexto certas ideias assumem ares quixotescos, mas quando Edmund Burke assinala que o triunfo do mal depende da apatia dos bons, em outras palavras o “pai do conservadorismo” está apontando o caminho da realidade. Ao preferirem o distanciamento da “coisa pública” (res publica), muitos delegam aos perversos a administração do que pertence a todos. Segundo Platão, "o castigo dos bons que não fazem política é serem governados pelos maus."  Passados trinta anos de "abertura democrática”, a maioria dos brasileiros decidiu que não queria mais ser governada por perversos,  o que gerou a reação do estamento em todos os níveis. 

Nos últimos tempos temos visto que a corrupção se estabelece como uma teia que atrai agentes dos quatro poderes: político, econômico, judiciário e midiático. Quando as partes sombrias destes poderes se juntam o que se tem é o “estado profundo” (deep state), cujos membros se movimentam nos bastidores. E um exemplo claro do que o deep state é capaz  se aplica ao caso do jornalista Oswaldo Eustáquio, que há meses caiu na teia dos partidários das sombras e teve sua vida virada de ponta-cabeça. Qual foi o crime deste jornalista que, por ordem de um ministro do Supremo, foi detido ilegalmente seguidas vezes? E o mais grave: sem nenhuma acusação formal. 

Pelo visto o álibi do magistrado se baseia no fato de que o jornalista é um apoiador do presidente que foi eleito pelos conservadores. E isso basta? Para o “deep state” tudo que não for sombra é uma ameaça à sua existência.  E o Oswaldo Eustáquio é um dos que representa essa ameaça, haja vista ser o único jornalista que ousou investigar e denunciar os atos escusos do seu algoz:  Em 29/05/2020, publicou a seguinte matéria no jornal Agora Paraná: "Esposa de Alexandre de Moraes atende prefeito condenado do PSDB nos Tribunais Superiores.” Tal coragem foi suficiente para entrar no radar do referido ministro. No dia 27 de junho o jornalista publicou em seu twitter: "Minha opinião foi criminalizada e tornei-me mais um preso político de uma justiça seletiva no Brasil. Confio em Deus e nos homens de bem, continuo patriota e cristão”. 

Custa crer que um servidor público seja capaz de usar a autoridade outorgada pelo Estado para fins pessoais, o que caracterizaria desvio de função. Mas os abusos de autoridade, via de regra, são motivados por fins pessoais e não em função do bem comum. Não se pode ignorar os partidários das sombras, principalmente os que atuam no judiciário. Associada a essa prática nefasta está a mídia, que se encarrega de criar  falsas narrativas e moldar a opinião pública. No caso do jornalista Oswaldo Eustáquio, esta carimbou-lhe a pecha de “blogueiro”. Quais as implicações desse rótulo? Diante dos atos tirânicos a corporação dos jornalistas se exime de qualquer responsabilidade, ou seja, para todos os efeitos quem está a sofrer os abusos é um simples cidadão que não merece o apoio de seus pares. Para os habitantes das sombras, basta que uma pedra deixe de ser chamada de pedra para que ela também deixe de ser pedra. Da mesma forma, basta que um jornalista seja chamado de blogueiro para que ele deixe de ser jornalista. Parte da mídia é cúmplice das piores atrocidades que acontecem no país.

Ainda sobre o jornalista Oswaldo Eustáquio, notícias confirmadas por pessoas próximas, dão conta de que ele corre o risco de ficar paraplégico em função de um acidente sofrido no cárcere. Como podemos classificar o seu algoz? Será que diante de tudo isso os “mandarins de toga” continuarão punindo pessoas por emitirem opiniões e ao mesmo tempo absolvendo os verdadeiros criminosos? Aliás, por que o Oswaldo está preso e atualmente o Lula solto e passeando em Cuba? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário