QUAL É O PLANO? - OLHAR CONSERVADOR

quarta-feira, 27 de maio de 2020

QUAL É O PLANO?



por Delmo Fonseca

"Temos que destruir o governo Bolsonaro" – Marcelo Freixo
“Renuncie antes de ser renunciado” - FHC

Defenestrar Jair Bolsonaro do Palácio do Planalto na próxima eleição presidencial não faz parte do plano político de seus adversários. O establishment tem pressa, quer destituí-lo do cargo o quanto antes. Se a estratégia já fora traçada, a qual consiste na retomada do poder central a qualquer custo, basta definir a melhor tática. O que foi tentado até agora se mostrou inócuo, pois os apoiadores do presidente rechaçaram, seja nas ruas ou nas redes sociais. Parte do Congresso tentou um “parlamentarismo branco” e não conseguiu; tentou-se sabotar a reforma da Previdência, mas sem efeito; até a entrada em campo do ativismo judicial. Para tal, a Suprema Corte fora acionada  a fim de dar cabo ao plano. A partir daí, tendo como pretexto a pandemia do Covid-19, as atribuições constitucionais do presidente Bolsonaro foram esvaziadas e concomitantemente transferidas para os governadores e prefeitos.

Somado a isso, um cerco fora realizado em torno dos apoiadores do presidente da República, de modo que muitos foram presos sem o amplo direito de defesa, como é o caso de dois manifestantes paulistas que há quinze dias se encontram num presídio e seus advogados sequer tiveram acesso aos autos do processo. No Rio de Janeiro, por exemplo, a multa para quem descumprir a medida de restrição imposta pela justiça estadual é de 50 mil reais. E não para por aí: inúmeros perfis conservadores foram bloqueados nas redes sociais sob o pretexto de estarem disseminando fake news. Ao mesmo tempo, um inquérito inconstitucional do Supremo enquadra criminalmente todo aquele que se manifesta de forma crítica nas redes, além de engrossar a CPMI do Congresso. A passos largos vários parlamentares estão a formular projetos de leis que criminalizam a liberdade de expressão, de modo que esquerdistas e progressistas possam tudo e conservadores, nada.  

Portanto, o que se percebe é que há várias táticas sendo executadas ao mesmo tempo com o propósito de que alguma, em dado momento, funcione. O plano de defenestrar o presidente Bolsonaro já fora traçado, o que resta é saber se este está disposto a fazer valer o que diz o parágrafo único do art. 1º da Carta Magna: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”. E onde está o povo? Em prisão domiciliar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário